Antes de existir a DOCE, a Inês Prazeres e o José Vilhena foram contactados por vários meios de comunicação social que se prontificaram em partilhar a sua história, com o objectivo de encontrar mais famílias. Anos antes já o nosso querido David tinha ido ao “agora nós”.